Fertilidade preservada: maternidade no seu tempo

Fertilidade preservada: maternidade no seu tempo

A mulher já nasce com o estoque de óvulos que usará durante toda a vida, o qual, infelizmente, é limitado e envelhece junto com ela. Sim, a reserva ovariana é finita e os óvulos já podem ir se perdendo durante a vida fetal.

Não sabemos ainda se os melhores óvulos são dispensados nos primeiros anos de vida reprodutiva ou se o envelhecimento é o principal fator que leva à perda de fecundidade com a idade, talvez sejam os dois fatores juntos. Por isso, é importante fazer um planejamento reprodutivo. As mulheres que não desejam ser mães no presente devem pensar em preservar sua fertilidade por meio de técnicas da reprodução humana, entre elas, o congelamento de óvulos.

O procedimento pode ser feito em qualquer idade, não há limite. Se ainda houver óvulos a serem congelados, contudo, vale destacar que o melhor momento para garantir a eficácia do congelamento é fazer a coleta até os 35 anos. Pois, é a partir desta idade que normalmente a reserva ovariana começa a diminuir gradativamente, assim como os óvulos vão perdendo qualidade. Mas, sempre digo que isso não é uma uma limitação, é apenas uma constatação estatística. A individualização é o mais importante. Tenho pacientes que congelam óvulos com 40 anos ou mais, apenas devendo estar cientes da eficácia.

No Brasil, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que o número de mulheres que decidiram ser mães após os 30 anos teve um crescimento significativo nos últimos dez anos. A quantidade de mulheres que deram à luz entre 30 anos e 34 anos aumentou em 27,5%. Já entre os 35 anos e os 39 anos, subiu para 63,6%; e dos 40 anos aos 44 anos, a alta foi de 57%.

Após o congelamento não há prazo de validade e os óvulos podem ser preservados por tempo indeterminado, sabia? Eles ficam em tanques de nitrogênio líquido a uma temperatura de – 196 Graus Celcius e temos relatos de embriões que foram descongelados 23 anos após e geraram bebes saudáveis.

Mas, apesar desta durabilidade, indicamos realizar a Fertilização in vitro antes dos 50 anos, devido aos riscos de complicações clínicas durante a gestação com idade avançada. No entanto, a decisão de engravidar com mais de 50 anos é realizada em conjunto com o médico.

Para realizar a coleta de óvulos é feita punção dos folículos ovarianos por meio de ultrassonografia transvaginal. O procedimento é com anestesia podendo a paciente sentir cólica e inchaço. Dez dias antes se inicia o uso de medicamentos para estímulo folicular e maturação dos óvulos. Assim que se alcança o número adequado e tamanho ideal dos folículos, é agendada a coleta.

Os óvulos, por serem microscópicos, não podem ser vistos a olho nu. Por isso, logo após a coleta eles são checados no microscópio por um embriologista e classificados de acordo com a maturidade. Se forem maduros já são congelados.

O número ideal de óvulos a serem congelados é motivo de discussões e ansiedade, mas pense que ter um óvulo é melhor do que nenhum. Artigos científicos com amostras grandes de pacientes apontam que para mulheres com menos de 35 anos ao congelarem 12 óvulos terão entre 50% e 60% de chance de terem um bebe em casa. Mas, esse número é apenas uma estatística e não uma cobrança.

Conhecer, confiar e conversar com o especialista que vai fazer seu tratamento é a melhor forma de passar bem por este processo que será cada vez mais realizado, empoderando e dando oportunidade a nós mulheres, de planejarmos nossa vida reprodutiva. É importante destacar que não engorda e pode ser realizado com DIU (todos eles).

Mais conteúdo...