Espermograma, eu preciso fazer?

Espermograma, eu preciso fazer?

Esta é uma pergunta muito comum entre os maridos dos casais tentantes, em especial quando o ginecologista, durante a avaliação dos fatores femininos de infertilidade, se depara com alguma alteração que já consiga explicar uma causa da dificuldade do engravidar. Hora, se já existe uma razão da infertilidade, porque então existe ainda a necessidade de se fazer um espermograma? Bom, a resposta para isso é fácil e simples: basta lembrar que em quase metade dos casos de infertilidade conjugal o fator é misto. Ou seja, é muito comum encontrar tanto na mulher quanto no homem aspectos que interfiram de forma negativa no potencial reprodutivo do casal.

Muito desta reação negativa e resistência ainda encontrada nos homens na realização da análise seminal vem de uma tradição machista de achar que os problemas de infertilidade conjugal estão, na maioria das vezes, relacionados às razões femininas, uma visão recheada de preconceitos. Nestes casos, é imperioso que o médico, seja ele ginecologista ou urologista, explique a importância que o espermograma apresenta para a avaliação do fator masculino e para a conduta de tratamento reprodutivo que o casal receberá.

Porém, a relevância do espermograma não fica restrita apenas à parte da avaliação reprodutiva. Muitas doenças ainda desconhecidas do homem, por estarem assintomáticas, podem ser descobertas depois da constatação de um espermograma alterado. Portanto, a infertilidade masculina pode representar em alguns homens a primeira manifestação de uma doença impactante existente, mas ainda não diagnosticada, entre elas: tumor de testículo, diabetes mellitus, hipertensão, síndrome metabólica, fibrose cística, etc. Quando nos deparamos com os parâmetros seminais com alterações importantes, o risco de aparecimento de um tumor de testículo cresce em até seis vezes, mostrando também a importância do exame físico masculino ou de um exame de imagem testicular durante a avaliação da infertilidade conjugal.
Muitas alterações seminais que afetam a fertilidade masculina podem ser reversíveis, melhorando o potencial reprodutivo dos homens e muitas vezes devolvendo ao casal a possibilidade da conquista da gravidez natural ou um tratamento de baixa complexidade, como namoro programado ou inseminação intrauterina. Importante ressaltar que o local para a realização do espermograma precisa ser um ambiente preparado e adequado para este objetivo. Caso contrário, será uma fonte de desconforto, constrangimento e de estímulo negativo para que os pacientes façam o exame. Contar com um espaço silencioso, com conforto acústico, material audiovisual adequado e mobília confortável são fatores essenciais para que a coleta da amostra seminal seja bem realizada pelos pacientes e o resultado realmente seja fidedigno com o potencial reprodutivo existente.

Não menos importante, o laboratório precisa dispor de uma equipe de analistas especializada na parte técnica da execução do exame e da correta leitura dos parâmetros seminais encontrados. O espermograma ainda é o exame mais importante para a avaliação inicial do potencial de fertilidade masculino. Vamos desmistificar este exame, trazendo informações importantes que possam ajudar os homens a entender sua relevância, não só para a avaliação reprodutiva do casal, mas que pode trazer impacto direto para sua própria saúde.

Mais conteúdo...