O processo de fertilidade está relacionado com a capacidade do organismo masculino e feminino de gerar células reprodutivas de boa qualidade. Desta forma, as torna capazes de gerar uma nova vida. Neste período, a demanda de nutrientes é elevada para que o embrião seja capaz de se desenvolver completamente. Além disso, um padrão alimentar inadequado muitas vezes causa desequilíbrios orgânicos que podem dificultar ainda mais uma gestação natural.

Período ideal para se preparar para gestação

De três meses (período onde o óvulo começa a amadurecer) a um ano (período onde o óvulo será recrutado).

Como a Nutrição pode ajudar quando a mulher possui:

- Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)

Mulheres que tem SOP possuem alteração dos ciclos ovulatórios, e uma das causas destas modificações pode ser a Resistência à Insulina. Mudanças no estilo de vida, padrão alimentar, uso de suplementos específicos e prática de atividade física podem auxiliar na melhora da ovulação e no aumento das chances de engravidar. Além de aprimorar a qualidade de vida da mulher com SOP, já que não existe cura para esta patologia.

- Endometriose

Conhecida como uma doença inflamatória e com disfunção imunológica, pode alterar não só a fertilidade mas também a saúde como um todo. Seguir uma dieta anti-inflamatória com alimentos de verdade pode reduzir os ciclos menstruais dolorosos. Estudos mostram que a mudança no estilo de vida é capaz de auxiliar mulheres com endometriose a ter seu tão sonhado beta positivo. Principalmente se o casal se submeter a um procedimento de reprodução humana.

- Envelhecimento Ovariano/Menopausa Precoce

Primeira coisa a ser feita é investigar a causa deste envelhecimento ovariano. Além da idade, outros fatores podem ocorrer, como déficit de nutrientes, intoxicação por metais e toxinas ambientais, capazes de serem resolvidos com mudança no padrão alimentar e estilo de vida.

- Infertilidade Sem Causa Aparente (ISCA)

Como o nome já diz, falta investigar o que não está aparente. Muitas podem ser as causas, como alergias alimentares, intoxicação, déficit de nutrientes. Para isso, é necessário procurar um profissional que olhe a mulher além do útero, ou seja, de forma integral.

- Cuidados pré-gestacionais

Você já ouviu falar em Programação Metabólica Fetal?  

Trata-se das mudanças passíveis de serem feitas antes e durante a gestação que vão determinar a saúde dos filhos. Assim, prepare-se para engravidar. Melhore o sono e a alimentação, pratique atividade física, pare de fumar e de beber. Procure um nutricionista que tenha esta expertise, ele vai te ajudar. 

- Diferença de FIV x Gestação Natural

Se por algum motivo a mulher precisou buscar ajuda da reprodução humana para realizar seu sonho de ser mãe, é importante lembrar que a alimentação precisa ser mais cuidadosa ainda. Isso, pelo fato de que pode ter ocorrido, em alguma fase deste processo, déficit nutricional ou alteração da microbiota vaginal. E estes podem ser alguns dos motivos das causas da não implantação, do aborto de repetição, da baixa qualidade e quantidade de óvulos.

Um exemplo são aquelas mulheres que, mesmo com altas doses de hormônios, não respondem à estimulação. Ou seja, folículos não crescem ou a contagem é pequena. Nutrientes são importantes para este crescimento, como cálcio e vitamina D.

- Doenças autoimunes

Lúpus, Artrite reumatoide, Tireoidite de Hashimoto, Graves e muitas outras são doenças autoimunes. Porém, patologias desse tipo não são sinônimos de infertilidade ou de gestação de alto risco. O que os estudos mais recentes mostram é que se o problema estiver sob controle as chances de engravidar são iguais a de uma mulher sem a moléstia.

A nutrição pode ajudar muito neste equilíbrio da doença autoimune. Desde mudanças na dieta, equilíbrio da microbiota intestinal e a reposição de nutrientes importantes para equilibrar o sistema imunológico.

Nutrientes

A pergunta que sempre é feita é qual suplemento é necessário ingerir além do ácido fólico? A resposta é depende do caso e dos valores de referência dos exames de sangue.

É possível elencar alguns nutrientes importantes:

CoQ10: importante para o não envelhecimento ovariano e para auxílio na melhora da qualidade e da quantidade dos óvulos.

Vitamina D: ajuda no crescimento e maturação dos folículos, auxilia a reduzir os folículos atrésicos. Importante para implantação e melhora a receptividade do endométrio.

Cálcio: importante para crescimento dos folículos.

Resveratrol: ótimo efeito em pouco tempo de uso, melhora qualidade do embrião.

Vitaminas do complexo B: importante para mitocôndrias, lembrando que os ovários são os órgãos que mais têm mitocôndrias no corpo da mulher. A mitocôndria é importante para produção de energia, já que este ovário precisa de energia para “prevenir” o envelhecimento.

Melatonina: um dos melhores antioxidantes para o ovário.

*Colaborou como fonte neste texto Jociane Catafesta, nutricionista, especializada em Fertilidade.